quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

É gastar, é gastar pessoal. As gerações e as Verações vindouras irão pagar. É fartar, é fartar minha gente. Quem vier depois que se aguente!

Câmara da Moita adquire veículos híbridos Imprimir e-mail
12-Nov-2007

foto_hibridos.jpg

Novo contrato de aluguer de viaturas por 48 meses, no valor de 490 mil euros

O executivo da Câmara Municipal da Moita passará a deslocar-se em viaturas híbridas. O Moinho de Maré, em Alhos Vedros, serviu de cenário à apresentação dos novos veículos Honda Civic Hibrid.

O presidente da autarquia, João Lobo, sublinhou que a aquisição destes veículos permitiu o cumprimento de três objectivos: “redução de custos com as viaturas, redução de custos de consumo e uma componente fortemente amiga do ambiente”.

Esperamos contagiar, de alguma forma, esta boa prática para que haja mais contributos para a preservação do nosso ambiente”, acrescentou o presidente.

De acordo com os especialistas, este modelo, que tem um motor de gasolina assistido por um motor eléctrico com potência de 115 cv, permitirá reduzir em 18 por cento as emissões de dióxido de carbono (CO2).

Os cinco Honda Civic Hibrid destinam-se à vereação e fazem parte dos 30 novos veículos adquiridos pela Câmara, no âmbito de um novo contrato de aluguer de viaturas por 48 meses, no valor de 490 mil euros, o que, segundo a autarquia, representa uma redução de oito por cento em relação aos contratos anteriores.

Na área do consumo e despesa com combustíveis, verificar-se-á uma redução de cerca de 27 por cento, tendo em conta que a maioria das novas viaturas têm motor diesel de baixa cilindrada, e portanto, reduzidos consumos”, sublinha Pedro Rodrigues, responsável pela frota municipal.

O responsável destacou ainda os benefícios ambientais dos novos veículos. “De igual forma, haverá lugar a uma redução significativa de CO2, em cerca de 18 por cento, correspondendo a duas toneladas de CO2 anuais”.

A frota da Câmara Municipal da Moita é composta por 140 viaturas e máquinas, 44 das quais se encontram em contrato de aluguer operacional.


Câmara da Moita: afinal está mesmo endividada

In

Vereador Vitor Cabral Blogue de Vitor Cabral

A maioria CDU isolada, aprovou um empréstimo de mais de 1 milhão de contos (5,2 milhões de euros) para pagar dívidas a fornecedores!

As dívidas, que agora querem pagar com recurso ao crédito bancário, resultam de um descontrole da gestão corrente da Câmara, que ascendia a 9 milhões de euros em final de 2005, curiosamente ou não, coincidente com o período das últimas eleições autárquicas.

Caixa Geral de Aposentações, ADSE, Amarsul - tratamento de lixos, Xerox - Fotocópias, Transportes escolares e outros, EDP, CTT, Portugal Telecom, Vodafone, Cabovisão, BP - gasóleos e gasolinas, etc, são alguns dos fornecedores a quem agora a Câmara vai pagar, com dinheiro emprestado e sujeito a juros. O escândalo é tanto maior, quanto este empréstimo é contraído 12 anos e com início da amortização só em 2011, o que significa começar a pagar só daqui a 3 anos.

É o típico caso de “chutar a bola para a frente”. Os custos disto?

Compromete-se o futuro para quem vier a seguir! Uns atiram os foguetes e fazem a festa e outros apanham as canas e pagam a despesa!

É isto novidade? Não é de todo. As diversas Oposições: PS, PSD, BE, denunciaram este modo de proceder em tempo. Não foram ouvidos. Está na moda dizer-se que é por “dificuldades de comunicação”. A população não acreditou. O facto, e temos que o reconhecer, é que a máquina desinformadora, sustentada em caciques / opinadores de esquina que o PC persiste em alimentar, continua a funcionar. Cabe decididamente às OPOSIÇÕES e à população em geral encontrar respostas para desmantelar este polvo. Afinal, tanto dinheiro gasta a Câmara em desdobráveis, revistas e folhetos de que o exemplo último é o “2 ANOS EM MOVIMENTO” atafulhando as caixas de correio dos munícipes, mas esquece-se (!) de dizer a verdade ao concelho da Moita.

Não nos podemos esquecer que cortaram no apoio às colectividades (ASSOCIATIVISMO), negaram-se na questão das actividades extracurriculares (EDUCAÇÃO), e os trabalhadores camarários não podem fazer horas extraordinárias mesmo quando necessárias para assegurar o funcionamento normal dos equipamentos (ADMINISTRAÇÃO).

Para além de tudo isto, o frenesim das pequenas obras ocorrido antes do acto eleitoral de 2005 desapareceu no minuto imediato ao arrecadar a maioria absoluta. Se isto não é manipulação e areia para os olhos chama-se o quê? Isto não é senão resultado de uma governação de maiorias sucessivas, em que não há alternância e o cansaço é evidente. Cai-se na displicência e mesmo no desrespeito pela população.

Na lógica das obras de fachada e do faz e desfaz, temos o exemplo caricato da “rotunda do Modelo", também inaugurada em final de 2005 e agora destruída. Mau planeamento. Os moradores de Alhos Vedros no futuro para se deslocarem a esta zona comercial têm que ir à Baixa da Banheira e voltar. Mas para quem anda de carro oficial de luxo, não paga combustível nem a manutenção dos amortecedores (lombas) é coisa sem importância.

Talvez o sr. Presidente João Lobo, na habitual viagem oficial de inverno a Cabo Verde, que agora decorre, tenha um rasgo de bom senso e pondere para onde nos está a afundar.

Vitor Cabral,Vereador PS

e veja também:
BE Moita vota contra orçamento e opções do plano
MoitaO Bloco/Moita votou contra o Orçamento Municipal e as Opções do Plano, aprovados pela maioria CDU. Para o grupo municipal bloquista, "as futuras gerações de habitantes do concelho vão ver comprometidos os investimentos graças a politicas eleitoralistas levadas a cabo pela maioria CDU durante o ano de 2005". Leia aqui a posição do Bloco/Moita.

Ler Documento do BE aqui

1 comentário:

Lucky John disse...

Olá, você precisa de um empréstimo para pagar suas contas ou resolver qualquer tipo de problema financeiro, por favor contacte-me via e-mail agora: johnlutherloanfirm1@outlook.com
i oferecer todos os tipos de empréstimo.
obrigado

Arquivo do blogue

Acerca de mim

Neste espaço surgirão artigos e notícias de fundo, pautadas por um propósito: o respeito pela Lei, a luta contra a escuridão. O âmbito e as preocupações serão globais. A intervenção pretende ser local. Por isso, muito se dirá sobre outras partes, outros problemas e preocupações. Contudo, parte mais significativa dos temas terá muito a ver com a Moita, e a vida pública nesta terra. A razão é uma: a origem deste Blog prende-se com a resistência das gentes da Várzea da Moita contra os desmandos do Projecto de Revisão do PDM e contra as tropelias do Processo da sua Revisão, de 1996 até ao presente (2008...) Para nos contactar, escreva para varzeamoita@gmail.com