quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Estes patos eram para ser mudos....Contudo, eles voam e vão a toda a parte, e em todo e qualquer lugar não se cansam de grasnar.


Na foto, pode ver-se um bando de patos.

Mudos.

Estes patos eram para ser mudos.

Mas quem com eles contou, quem lhes destinou o papel de patos, ainda para mais mudos, com eles se enganou.

Eles voam e vão a toda a parte, e em todo e qualquer lugar não se cansam de grasnar.

Eram para ser mudos, e patos, mas as contas saíram aparentemente furadas a quem com eles contou.

Veja-se:

In Que caminho escolherá o PCP percorrer na Moita? ... continuar a dizer "ámen" aos seus eleitos e dirigentes locais, que todos os dias aqui o atraiçoam?

“…

E explicaram melhor:

"Essa gente esperta, e essa Câmara de mau governo e de recorrente violação dos princípios constitucionais da justiça, boa-fé e imparcialidade, actuaram debaixo de um álibi muito manhoso."

"Fizeram assim: procuraram iludir governantes politicamente cegos com a treta fantasiosa da deslocação de nova REN às centenas e centenas de hectares para cima das casas, do gado, das culturas, das localidades, das estradas e dos campos e da vida de centenas de famílias da Várzea da Moita, numa manobra ambiental risível e de fingir, e numa medida de política punitiva dos interesses das populações de as fazer sofrer a bem sofrer".

"Sempre com uma ideia fixa: proteger e favorecer os poderosos, empobrecer e castigar as pessoas simples do campo".

"Não é só uma política errada. É também uma política fraudulenta. E pior, é uma política a favor de uns, e contra outros. Para o enriquecimento absolutamente excêntrico de uns, para a sua boda farta, essa fraude necessita de outros que são condenados a ser os patos degolados para a mesa dessa festança indecente."

"Os patos éramos para ser nós, pensavam eles. E até nos destinaram que espécie de patos deveríamos ser: estávamos condenados a ser patos mudos, mas enganaram-se redondamente", esclareceram.

"Ninguém nos cala, e vamos onde for preciso clamar contra a fraude e contra a violação da lei e do princípio da imparcialidade na gestão da coisa pública, a favor da legalidade e pelos nossos interesses legítimos e pelo direitos protegidos por lei das gentes desta terra!", disseram.”

In Que caminho escolherá o PCP percorrer na Moita? ... continuar a dizer "ámen" aos seus eleitos e dirigentes locais, que todos os dias aqui o atraiçoam?

1 comentário:

SILVESTRE disse...

Existe um ditado popular que diz:
- Cego não é o que não vé, é o que não quer ver.
Parece-me que de todos os lados tem levado nega ou seja em todos os lados em que apresentou as suas razões e a defesa das suas ideias parece-me que não foram acolhidas como você queria. O que se passa? Será que só você vé o que os outros não vêm? Elucide-me porque parece-me que esta causa é uma causa pessoal, politica e não comunitária.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

Neste espaço surgirão artigos e notícias de fundo, pautadas por um propósito: o respeito pela Lei, a luta contra a escuridão. O âmbito e as preocupações serão globais. A intervenção pretende ser local. Por isso, muito se dirá sobre outras partes, outros problemas e preocupações. Contudo, parte mais significativa dos temas terá muito a ver com a Moita, e a vida pública nesta terra. A razão é uma: a origem deste Blog prende-se com a resistência das gentes da Várzea da Moita contra os desmandos do Projecto de Revisão do PDM e contra as tropelias do Processo da sua Revisão, de 1996 até ao presente (2008...) Para nos contactar, escreva para varzeamoita@gmail.com